Níveis Normais de Glicose para Idoso

Gostou do artigo? Compartilhe!

Quais os níveis normais de glicose para idoso?

Os idosos têm maior risco de desenvolver diabetes, sendo o diabetes tipo 2 o mais comum nessa faixa etária, por isso saber os níveis normais de glicose para idoso é importante para manter o diabetes controlado. 21,4% dos idosos com 65 anos ou mais têm maior chance de ter diabetes do que todas as outras faixas etárias. 

A American Diabetes Association recomenda que adultos com mais de 45 anos comecem a fazer exames para diabetes e pré-diabetes a cada um ou três anos, mesmo que os resultados dos exames estejam normais. Mesmo com o o diabetes controlado, o risco de complicações e danos nos vasos sanguíneos aumenta com a idade.

Os sintomas do diabetes são os mesmos em todas as faixas etárias, como; aumento da sede, fadiga e problemas de visão. No entanto, os níveis normais de glicose para idosos é menos rígida em comparação com os de outras faixas etárias. O programa de controle do diabetes para idosos também pode ser diferente.

Controle do diabetes para idosos acima de 65 anos

A hipoglicemia é quando os níveis de glicose no sangue estão abaixo do normal. O nível de glicose no sangue é inferior a 70 mg / dL.

É comum entre idosos com diabetes. Isso se dá ao fato de que os idosos são mais propensos a ter outras doenças crônicas, desnutrição ou tomar vários medicamentos.

A hipoglicemia também pode ser causada pela ingestão excessiva da medicação para baixar a glicose no sangue. O uso excessivo de remédios para diabetes em idosos também é comum.

Os pesquisadores dizem que a hipoglicemia provavelmente é percebida porque os idosos podem não apresentam os sintomas de baixo nível de glicose no sangue ou não informam as pessoas, devido ao comprometimento da memória e cognitivo.


Níveis de glicose no sangue para idosos

O tratamento do diabetes para idosos com mais de 65 anos é diferente do tratamento para os mais jovens e para crianças.

Para evitar a hipoglicemia, os pacientes com várias doenças crônicas, ou que têm um diagnóstico terminal, podem controlar o glicose no sangue de forma menos rigorosa. Os idosos com uma saúde melhor podem controlar o diabetes com mais rigidez.

Níveis de glicose para idosos com mais de 65 anos
Estado de saúde do paciente

Hemoglobina Glicada – A1C

Glicose em jejumGlicose na hora de dormir
Nenhuma ou poucas doenças crônicas, cognitivamente funcionais7,5% ou menos90-130 mg / dL90-150 mg / dL
Várias doenças crônicas, comprometimento cognitivo leve a moderado8% ou menos 90-150 mg / dL100-180 mg / dL
Morar em asilo ou casa de idosos, doença crônica em estágio final, deficiência cognitiva moderada a grave8% a 9%100-180 mg / dL110–200 mg / dL

Controle da glicose 

Monitorar a glicose no sangue regularmente é uma parte importante de qualquer tratamento para o controle do diabetes.

As medições de glicose no sangue são feitas com uma pequena agulha chamada lanceta, que é usada para furar a ponta do dedo. Uma gota de sangue é colocada em uma tira-teste e um glicômetro ( aparelho para medir a glicose ) mostra seu nível de glicose no sangue.

Geralmente, o glicose no sangue deve ser verificada antes das refeições e ao deitar. Mas seu médico pode aconselhar a verificação com mais frequência.

O declínio cognitivo e as doenças crônicas podem tornar mais difícil para alguns idosos seguir o tratamento do diabetes, mesmo os que já são diabéticos há mais tempo.

Nessas situações, o médico pode prescrever uma dose mais baixa de medicamento e avaliar cuidadosamente a glicose baixa no sangue.

Controle da alimentação

A medicação é apenas uma ferramenta para o controle do diabetes. A dieta é a melhor forma do diabético controlar o diabetes, o que comer, ou não comer, é o que afeta a glicose no sangue.

No entanto, manter uma dieta saudável pode ser um desafio para alguns idosos, devido aos problemas gastrointestinais que surgem com o aumento da idade, o que pode dificultar a alimentação e causar má nutrição.

Esses problemas podem incluir: 

  • Transtornos da deglutição ( dificuldade em comer, mastigar e engolir )
  • Anorexia ( falta de fome )
  • Indigestão e outros problemas intestinais
  • Sensação de saciedade logo após comer ( sensação de estomago cheio )

Tratamento nutricional

Programa Diabetes Controlada Dr. Rocha

Os idosos podem precisar de um nutricionista para o tratamento do diabetes. O nutricionista cria um plano nutricional personalizado e analisa as dificuldades de alimentação.

O tratamento nutricional pode incluir:

  • Uso de suplementos como proteínas e pó e polivitamínicos para manter o peso
  • Diminuir as restrições alimentares
  • Ajuda na preparação, ingestão, compras dos alimentos e contagem de macronutrientes

Remédios idosos diabéticos 

Os idosos ainda precisam tomar medicamentos para ajudar a controlar o diabetes.

Eles geralmente tomam vários medicamentos para outras doenças crônicas, portanto, os médicos devem ser cautelosos ao escolher um medicamento seguro e eficaz para diabetes com o menor risco de hipoglicemia e interações medicamentosas .

Os remédios mais comuns para idosos diabéticos são:

  • Inibidores da DPP4 (sitagliptina, saxagliptina, linagliptina, alogliptina): Um comprimido por dia ajudará a diminuir o risco de hipoglicemia. Cuidado com a insuficiência cardíaca (saxagliptina e alogliptina) e modificação da dose com função renal deficiente.
  • Inibidores do SGLT2 (dapagliflozina, canagliflozina, empagliflozina): Um comprimido por dia diminui o risco de hipoglicemia. A empagliflozina é uma boa opção para pessoas com doenças cardíacas e pode ajudar a reduzir o risco de morte cardiovascular em pessoas com diabetes tipo 2. No entanto, este medicamento pode vir com efeitos colaterais significativos, incluindo insuficiência renal, diminuição da densidade óssea e baixa pressão arterial.
  • Agonistas do GLP1 (exenatida, exenatida ER, liraglutida, albiglutida, lixisenatida, dulaglutida, semaglutida): As doses são administradas em injeções diárias ou semanais. A preparação de exenatida ER e albiglutida pode ser demorada. Os possíveis efeitos colaterais incluem náusea, diarreia, perda de peso e pancreatite . Às vezes, os efeitos colaterais gastrointestinais, como diminuição do apetite, podem ser sensíveis para os idosos e causar perda de peso significativa.

Conclusão:

É completamente normal que o controle e o tratamento do diabetes mudem à medida que a pessoa envelhece.

Independentemente da pessoa ter sido diagnosticada recentemente ou ter diabetes há décadas, existem muitas opções para manter os níveis de glicose no sangue dentro da faixa normal e ter uma boa qualidade de vida.

É importante observar que os níveis de glicose no sangue para idosos são diferentes das pessoas mais jovens. Da mesma forma, o tratamento pode ser diferente e os idosos podem precisar de mais ajuda para o tratamento do diabetes.

Sempre consulte seu médico antes de fazer qualquer alteração em seu tratamento.

BAIXE GRÁTIS O LIVRO DIGITAL COM 25 ALIMENTOS PARA DIABÉTICOS

Fontes:

  1. Centers for Disease Control and Prevention. National diabetes statistics report 2020. Updated February 11, 2020.

  2. Kirkman MS, Briscoe VJ, Clark N, Florez H, Haas LB, Halter JB, Huang ES, Korytkowski MT, Munshi MN, Odegard PS, Pratley RE, Swift CS. Diabetes in older adultsDiabetes Care. 2012 Dec;35(12):2650-64. doi:10.2337/dc12-1801

  3. Abdelhafiz AH, Rodríguez-Mañas L, Morley JE, Sinclair AJ. Hypoglycemia in older people – a less well recognized risk factor for frailtyAging Dis. 2015 Mar 10;6(2):156-67. doi:10.14336/AD.2014.0330

  4. Medline Plus. Hypoglycemia. Updated January 2, 2017.

  5. Leung E, Wongrakpanich S, Munshi MN. Diabetes management in the elderlyDiabetes Spectr. 2018 Aug;31(3):245-253. doi:10.2337/ds18-0033

  6. Cleveland Clinic. Monitoring your blood sugar. Updated September 17, 2018.

  7. Stanley K. Nutrition considerations for the growing population of older adults with diabetesDiabetes Spectr. 2014 Feb;27(1):29-36. doi:10.2337/diaspect.27.1.29

Isenção de responsabilidade:

Esse artigo é meramente informativo, dessa forma não tem intenção de substituir a consulta médica. Todas as informações são baseadas nas fontes acima.

Gostou do artigo? Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *