como controlar o diabetes tipo 2

Como controlar o Diabetes Tipo 2

Gostou do artigo? Compartilhe!

Para ajudar as pessoas a controlar o diabetes tipo 2, a American Heart Association (AHA) recomenda:

  • controle de peso
  • dieta nutritiva
  • fazer exercícios regulares
  • parar de fumar
  • reduzir o estresse

Se as mudanças na dieta e no estilo de vida não ajudarem a manter um nível saudável de açúcar no sangue, os médicos podem prescrever medicamentos. No entanto, se seu açúcar no sangue estiver apenas ligeiramente elevado, os medicamentos podem não ser necessários.

Neste artigo, examinamos como controlar o diabetes tipo 2 sem medicação. 

Maneiras de controlar o diabetes tipo 2 sem medicação

Um estudo de 2020 relata que práticas de estilo de vida saudáveis ​​podem beneficiar pessoas com diabetes tipo 2 ou fatores de risco para a doença. Tais medidas podem retardar ou prevenir seu desenvolvimento, bem como tratá-lo ou potencialmente colocá-lo em remissão. Este método de controlar o açúcar no sangue pode ser tão eficaz que os autores do estudo o chamam de remédio para o estilo de vida.

As seguintes práticas de estilo de vida saudável podem ajudar a reduzir os níveis de açúcar no sangue:

1. Buscar controle de peso

Em pessoas com sobrepeso ou obesidade, uma perda significativa de peso pode reduzir o açúcar no sangue de diabéticos para não diabéticos.

Duas maneiras de controlar o peso são manter uma dieta saudável e balanceada e praticar exercícios regularmente. A chave para a perda de peso envolve consumir menos calorias do que o corpo usa para atividades e processos fisiológicos.

2. Faça uma dieta saudável

Uma dieta saudável consiste em comer alimentos nutritivos em porções adequadas, evitando ou limitando alimentos não nutritivos.

Os alimentos para as pessoas comerem podem incluir:

  • grãos inteiros, como aveia, arroz integral e pão integral
  • frutas e vegetais
  • peixes não fritos com alto teor de ácidos graxos ômega-3, como salmão e truta do lago
  • carne magra, como lombo e carne branca de frango ou peru
  • óleos vegetais não tropicais, como azeite de oliva
  • nozes e sementes sem sal
  • leguminosas, como feijão e ervilha
  • laticínios com baixo teor de gordura

Alimentos e ingredientes que as pessoas devem limitar podem incluir:

  • alimentos e bebidas açucarados, como doces, bolos, geléia, mel, refrigerantes, chá doce, sucos de frutas e sucos de frutas concentrados
  • aditivos alimentares doces, como xarope de milho com alto teor de frutose, dextrose, maltose, frutose e sacarose
  • carnes processadas e gordurosas, como bacon, cachorros-quentes e cortes gordurosos de boi e porco
  • alimentos salgados
  • alimentos parcialmente hidrogenados e com gordura trans, como gordura vegetal, margarina dura, pipoca de micro-ondas, pizzas congeladas, sobremesas e creme de café
  • gordura saturada, como alimentos que contêm óleo de palma ou óleo de coco

A American Diabetes Association (ADA) recomenda uma dieta semelhante à dieta mediterrânea, que se concentra em:

  • frutas
  • legumes
  • grãos inteiros
  • nozes
  • azeite
  • Peixe gordo

Uma revisão de 2020 observa que seguir este plano alimentar melhora o controle do açúcar no sangue.

3. Faça exercícios regularmente

O exercício promove o controle do açúcar no sangue e queima calorias, o que contribui para a perda de peso. A atividade física também aumenta a sensibilidade à insulina , o que ajuda o açúcar no sangue a entrar nas células a partir da corrente sanguínea.

As pessoas devem ter como objetivo fazer 30 minutos de atividade física moderada por dia na maioria dos dias, totalizando pelo menos 150 minutos por semana. Os especialistas classificam uma caminhada rápida como exercício moderado. Alternativamente, 75 minutos por semana de atividade aeróbica vigorosa são igualmente benéficos.

4. Pare de fumar

Os médicos aconselham as pessoas a pararem de fumar para ajudar no controle do açúcar no sangue por várias razões. Os fumantes têm um risco 30–40% maior de desenvolver diabetes do que os não fumantes. Fumar também torna os exercícios mais desafiadores.

Fumar também aumenta o açúcar no sangue temporariamente, o que representa um desafio adicional na manutenção dos níveis de açúcar no sangue de não diabéticos. Isso aumenta a probabilidade de uma pessoa desenvolver complicações do diabetes, como doenças renais e danos aos nervos.

5. Gerenciar o estresse

Pesquisas em 2019 sugerem que, embora o estresse não cause diabetes tipo 2, ele pode piorá-lo. O estresse estimula a liberação de hormônios que interferem na regulação do açúcar no sangue do corpo. Também torna a pessoa mais propensa a se envolver em práticas que dificultam o controle do açúcar no sangue, como comer demais e fumar.

Uma maneira de reduzir o estresse é passar um tempo na natureza.

Conclusão:

De acordo com a ADA , o diabetes tipo 2 é progressivo, tornando-se mais difícil de controlar ao longo do tempo. As melhorias no atendimento médico permitem que as pessoas com a doença vivam mais. No entanto, apesar dos avanços, o diabetes tipo 2 pode reduzir a expectativa de vida em até 10 anos.

Os efeitos das práticas de estilo de vida sozinhas sobre o diabetes tipo 2 não foram submetidos a pesquisas extensas, limitando as estatísticas sobre os resultados de tais intervenções. No entanto, um Ensaio clínico 2018 examinou os resultados de um programa de controle de peso em 306 indivíduos com diabetes tipo 2. Após 12 meses, os autores descobriram que cerca de metade dos indivíduos que participaram do programa entraram em remissão .

Os pesquisadores não podem quantificar a melhora exata que cada prática de estilo de vida saudável pode trazer neste ponto da pesquisa. No entanto, as perspectivas para as pessoas com diabetes tipo 2 que têm um estilo de vida saudável são melhores do que aquelas que não têm.

Foto de Towfiqu barbhuiya no Pexels

 

Gostou do artigo? Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *