Pular para o conteúdo
Início » Ceramidas e Diabetes

Ceramidas e Diabetes

ceramidas e diabetes

Pesquisadores descobriram a relação entre as ceramidas no sangue e diabetes tipo 2, bem como de outras doenças crônicas. Isso pode ajudar no controle da evolução dos casos de diabetes em todo o mundo.

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Ceramidas e risco de diabetes

As ceramidas são uma forma de gordura tóxica que pode então ser considerada quase como o colesterol. Quando os níveis de ceramidas estão muito altos, então pode causar resistência à insulina, diabetes tipo 2 e doenças cardíacas.

Elas são produzidas pela alta ingestão de calorias bem como pela síndrome metabólica. Entretanto é importante ressaltar que os pesquisadores observaram, em roedores, que se a produção de ceramida for bloqueada, impede o desenvolvimento de todas essas doenças.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde , cerca de 422 milhões de pessoas em todo o mundo têm diabetes.[ 1 ] E o número de casos vem aumentando constantemente nas últimas décadas. É por isso que é tão importante descobrir a relação entre as ceramidas e quais fatores que causam o diabetes. Para assim impedir o aumento de diabéticos.

Scott Summers, PhD , codiretor do Diabetes Metabolism Research Center e presidente do Departamento de Nutrição e Fisiologia Integrativa da University of Utah Health, está explorando um aspecto importante da mudança metabólica. As ceramidas que estão causando o aumento do diabetes.

“Existem algumas razões pelas quais achamos que o diabetes está aumentando. Pois estamos comendo mais calorias e ficamos mais tempo sentados. Certamente há fatores genéticos que aumentam o risco de ter diabetes. Essas mudanças afetam nosso metabolismo. Ou seja a maneira como nosso corpo transforma os alimentos em energia. A pergunta é: O que está mudando em nosso metabolismo?”

Relação entre ceramidas e diabetes

Em um artigo de revisão recente , Summers e outros pesquisadores da Universidade de Utah descobriram que:

  • O problema com as ceramidas não é apenas quantas existem, mas também onde elas estão. Quando uma pessoa sofre de doença cardíaca ou metabólica, ela tem ceramidas acumuladas em muitos tecidos, como nos vasos sanguíneos e no coração.
  • Em uma clínica, podemos medir os níveis de ceramida no sangue para entender melhor o risco de problemas cardíacos. Isso sem dúvida, ajuda no tratamento.
  • Vimos com sucesso, em camundongos e ratos que, se pudermos interromper a produção de ceramidas, podemos prevenir o desenvolvimento de doenças como diabetes e pressão alta.
  • As ceramidas podem reduzir a quantidade de insulina que o corpo pode produzir ou usar, prejudicando a maneira como as células produzem energia, criando fibrose e causando a morte celular.
  • Existem várias áreas promissoras a serem investigadas para o desenvolvimento de medicamentos. Esses medicamentos podem ajudar a tratar várias doenças cardiometabólicas.

“Estudos recentes revelam que os níveis de ceramida se relacionam com futuros doenças cardiovasculares, como ataque cardíaco e derrame”, relata Summers. “Estudos em roedores sugerem que as ceramidas também podem aumentar o risco de doenças cardíacas”.

Como diminuir a ceramidas no sangue?

Summers e outros pesquisadores da Universidade de Utah Health estão desenvolvendo novos medicamentos para reduzir as ceramidas, mas também prevenir ou reverter o diabetes e suas complicações.

Além disso estão estudando medicamentos redutores de ceramidas para combater diabetes e doenças cardíacas.

Estão trabalhando para desenvolver diretrizes clínicas para esses novos medicamentos. Esses pesquisadores esperam que suas investigações mostrem como os medicamentos ou as dietas podem influenciar os níveis de ceramidas.

“Mas mais pesquisas são necessárias, para reduzir essa classe de lipídios bioativos”, conclui Summers.

Deixe uma resposta

Coloque o código a seguir na página AMP (por exemplo, no footer/rodapé):
%d blogueiros gostam disto: